Um dos maiores problemas de segurança que as empresas de software enfrentam são as falhas graves descobertas e não reportadas. Estas podem ser exploradas durante anos, sem que se saiba.

Para ajudar a encontrar esses bugs e a compensar os investigadores que os encontram, existem programas específicos. A Microsoft alargou agora o seu ao Windows 10.

Há já vários anos que a Microsoft tem o seu programa de caça aos bugs, para motivar os investigadores de segurança a reportarem as falhas que encontram e assim serem resolvidas.

Para além das muitas áreas cobertas, a Microsoft alargou-o agora a um dos seus mais importantes produtos. O Windows 10 está também coberto por este programa e a Microsoft espera conseguir assim eliminar ou minimizar as falhas do sistema.

Os prémios para quem encontrar estas falhas variam entre os 500 e os 250 mil dólares, dependendo da sua complexidade e da sua importância, e deve focar-se na execução remota de código, elevação de privilégios ou falhas de design do Windows 10.

Qualquer pessoa pode submeter estas falhas e é elegível para receber o prémio, mas caso este tenha já sido descoberto internamente, apenas 10% do valor máximo será pago.

Segundo a Microsoft, este programa quer ajudar a empresa a adaptar-se a uma constante mudança dos paradigmas da segurança e priorizar os diferentes problemas segundo a sua importância. Com este alargamento do seu programa espera conseguir manter o Windows 10 ainda mais seguro.

Este programa de caça aos bugs do Windows 10 já se encontra ativo e será mantido enquanto a Microsoft entender que o mesmo se justifica.

 

Fonte: PplWare