Se você não é uma das pessoas que, na época de conexão discada, ficava horas jogando 3D Pinball, tentando baixar músicas no Ares ou desenhando no Paint, provavelmente não vai sentir nenhum tipo de tristeza ao ver essa notícia. Mas é bem provável que você faça parte desse grupo de pessoas…

Presente no Windows desde seus primórdios (é sério, desde o Windows 1.0, lançado em 1985), o Paint é um dos programas de edição de imagens (e passa-tempo) mais conhecidos do mundo, principalmente pelo fato de ser simples e vir integrado ao Windows nativamente. Acontece que, daqui pra frente, isso não vai mais acontecer.

 

A mudança para o novo

Até o Windows Vista, o Paint não havia sofrido muitas modificações, parecendo o mesmo programa incluso desde o Windows 95 (ou até mesmo o primeiro Windows, dependendo de como você o vê). Mas foi no Windows 7, o queridinho de boa parte dos usuários do sistema da Microsoft, que o Paint resolveu se atualizar. Ganhou uma interface muito mais moderna, além de funcionalidades que tinham apenas em softwares profissionais (tais como Photoshop e GIMP). Com isso, parecia que o Paint passaria mais umas boas décadas como filho da gigante de Redmond, acompanhando seu grande irmão (ou pai) Windows.

 

A concorrência

Claro que, no mercado de hoje, precisamos de muitas mais funções, ferramentas e complexidade nos editores de fotos. Daí que surge o reinado do Photoshop, da Adobe, que é a grande referência no mercado de edição digital para fotos. Mas ele não é o único na corrida. Como alternativas ao Photoshop, geralmente preferidas pelo fato de o programa ser bem pesado e exigir muitos recursos dos computadores, podemos citar o GIMP, Krita e até um conhecido chamado Paint.NET, que, apesar do nome, não é desenvolvido diretamente pela Microsoft, porém seu projeto é fortemente apoiado por ela.

 

Tudo que é bom dura pouco… Ou 32 anos

Com a chegada do Windows 10, a Microsoft está fazendo grandes mudanças no seu sistema operacional, principalmente pela proposta de ser uma plataforma universal, onde diversos dispositivos seriam capazes de rodar o mesmo sistema. Acredito eu que esse seja o principal motivo para a remoção do Paint do Windows: a sua idade e sua arquitetura-base não serem as necessárias para que a proposta do Windows 10 seja atendida. Por isso, a Microsoft já criou uma alternativa bem moderna ao Paint, lançada na última grande atualização do Windows (a Creators Update – Atualização de Criadores, no idioma tupiniquim). O Paint 3D veio em grande destaque, tendo diversos vídeos no canal da Microsoft no YouTube e uma vasta comunidade, criada pela própria Microsoft, para que seu sucesso fosse absoluto.

Bonito, moderno, atualizado. O Paint 3D é, sem dúvidas, o substituto do Paint original. Como sugere o próprio vídeo de apresentação dele…

You think you know Microsoft Paint?! Well… It’s time to think AGAIN

“Você acha que conhece o Microsoft Paint?! Bem… É hora de pensar NOVAMENTE”. Isso provavelmente já era uma deixa de que a Microsoft teria planos para a plataforma Paint em seu sistema operacional. A ideia é mudar o jeito como as pessoas conhecem o Paint. Porém, como fazer isso mantendo o “pensamento antigo” ainda vivo?

 

Foi tarde? Ou foi cedo?

No geral, acredito que o Paint já se tornou um software das antigas, provavelmente como o 3D Pinball (citado no começo dessa matéria), porém ainda tem seus grandes atrativos. A Microsoft removendo-o da sua plataforma principal não é exatamente um erro, aliás ele é um dos empecilhos que impede o Windows 10 de ser o que ele deseja ser (uma plataforma universal), porém simplesmente sumir com o produto assim pode não ser uma boa ideia, principalmente para aqueles que desejam fazer algumas alterações rápidas em suas imagens e não conhecem outros softwares. Se a Microsoft um dia chegar a ler esse artigo, #fikadik de colocar o Paint no repositório de “brincadeiras” da Microsoft: o Windows Sysinternals.

É claro que será uma questão de tempo para que internautas, curiosos, hackers e outras pessoas comecem a puxar o Paint do Windows 7/8 para as novas versões do Windows (assim como fizeram com os jogos e com os gadgets, com os pacotes Microsoft Games for Windows 8 e o 8 Gadget Pack), mas até lá, só nos resta dizer “tchau Paint” e buscar alternativas a esse ilustre software…

E você? Ficará com saudades? Vai sentir muito a diferença do Windows sem o Paint? Ouviu a música do Chaves tocando na sua cabeça quando olhou a última imagem? Compartilhe esse post e diga o que achou!